domingo, junho 06, 2010

COISAS PEQUENAS / DETALHES / PORMENOR

ou

PENSANDO COM JULMAR




O meu amigo Julmar afirmava hoje ser o detalhe, o pequeno traço, que determina a singularidade do Self, a marca registada da diversidade na criação. 
Fez-me pensar na Obra de Arundhati Roy, The God of Small Things, que conta as experiências da infância, na qual, dois gémeos fraternos se tornam vítimas das pequenas coisas da vida. São estes detalhes que, ao determinar o comportamento dos diversos personagens à sua volta, vão tecer a inevitabilidade do seu destino. O livro foi, em 1997, alvo do Prémio Booker e tornou-se um best-seller na Índia.


O romance tenta captar a intimidade dos detalhes da vida quotidiana, sem se prender com uma análise intelectual dos grandes eventos. Metonímico, na construção de uma história por contraste com a História, preconiza que a grande visão da História tem exercido uma influência irresistível sobre o indivíduo e a construção da sua narrativa identitária. Essa História que negligencia o detalhe e exerce o poder totalitário e opressivo de uma visão/lição teocrática de política, economia e cultura dominantes.

No vídeo, o João Negreiros, irreverentemente jovem, autor dramático, poeta e actor, interpreta a própria obra, desconstruindo e reconceptualizando, em puro divertimento,  a importância do pormenor, como determinante absoluto do processo encadeado dos acontecimentos da vida.

 
VÍDEO - You Tube
FOTO - Imagens do Google

3 comentários:

  1. Não conhecia... Quem é?
    GOOOOSTEI!!!

    bj

    ResponderEliminar
  2. Cada impressão digital é única no seu traçado. Pequenas diferenças conferem singularidade.
    Gostei muito!

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pela vossa presença por aqui.

    Bia, existem mais trabalhos do João publicados no You Tube. É um bom actor e escritor.

    bj

    ResponderEliminar