segunda-feira, maio 31, 2010

AVÉ MARIA




O Mês de Maio termina hoje. Um mês que se inicia com a tradição das Maias, reminiscência das festas pagãs que acolhiam a chegada da Primavera, fértil, cálida, maternal.
O Mês de Maio que ficou entre os portugueses consagrado à Virgem Maria, Mãe de Jesus.

Lembro-me em menina pequena dos diversos ritos em que fui educada. As novenas de Maio e a importância que a Avó Maria imprimia ao rezar do terço, pelo fim da tarde, e do som repetitivo e encantatório das ladaínhas a Nossa Senhora.

Aos 5, 6 anos já aprendia poemas que recitava em cima de uma cadeira aos amigos dos meus pais. Aprendi dois poemas de Augusto Gil. Um era a conhecida e terna Balada da Neve, o outro trago-o aqui hoje, pois de um modo cândido e popular, desenha a imagem dessa mãe absoluta e modelar que vela o seu filho divino.


Oh meu Jesus adorado
Fecha os teus olhos divinos
Num soninho descansado;
Que a não sermos tu e eu
Todo a gente do povoado,
Desde os velhos aos meninos,
Há muito que adormeceu.

E o menino Jesus não se dormia ...


Dorme, dorme, dorme agora
(Cantava a Virgem Maria)
Que mal assomou a aurora,
Sentei-me junto ao tear
E por todo o dia fora,
Até que já se não via,
Não deixei de trabalhar!

E o Menino Jesus não se dormia.


Tornava Nossa Senhora,
Numa voz mais consumida:
Dorme, dorme, dorme agora
E que eu descanse também,
Porque mesmo adormecida
Vela sempre, a toda a hora,
No meu peito, o amor de mãe.

E o Menino Jesus não se dormia.


Numa voz mais fatigada,
Tornava a Virgem Maria:
Dorme pombinha nevada,
Dorme, dorme, dorme bem ...
Vê que está quase apagada
A frouxa luz da bugia,
Do pouco azeite que tem.

E o Menino Jesus não se dormia.


Rogava Nossa Senhora:
Modera a tua alegria ...
Não deites a roupa fora
Do teu leito pequenino ...
Não rias mais. Dorme agora
E brincarás todo o dia ...
Dorme, dorme, meu menino.

E o Menino Jesus não se dormia.


Mais triste, mais abatida,
Pedia a Virgem Maria:
Tem pena da minha vida,
Que se a quero é para ti...
Vida aflita e dolorida!
Só por ti a viveria
Tão longe de onde nasci!...

E o Menino Jesus não se dormia.


E a voz da Virgem volveu:
Repara no meu olhar,
Vê como ele entristeceu...
Dorme, dorme, dorme bem,
Oh alvo lírio do céu!
Olha que estou a chorar,
— Tem pena da tua mãe!

Nosso Senhor, então, adormeceu ...



VÍDEO YOU TUBE - Nana Mouskouri - Avé Maria
POEMA DE - Augusto Gil, 1916 - Alba Plena

2 comentários:

  1. Adorei ouvir a Nana Mouskouri. É muito linda esta Ave Maria de Schubert. Parabéns pela escolha!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Lucy. Welcome!

    ResponderEliminar