domingo, fevereiro 21, 2010

VOGAMOS EM CÍRCULO
"Os sistemas tornam-se imunes à crítica assumindo-a. Para o poder nada há melhor para neutralizar uma rebelião que pôr-se ao seu lado. Quem hoje se manifestar contra alguém tem de contar que os destinatários do protesto se declarem solidários com ele. Poderíamos afirmar que o poder de um sistema está completo quando consegue introduzir a negação do sistema no próprio sistema. A nossa sociedade deve a sua flexibilidade aos críticos, que já nada põem em perigo. Os meios de comunicação cuidam do desvio e alimentam a inquietação da sociedade, isto é: a sua disposição para o conformismo. Deste modo, quando a subversão é a corrente dominante, o mainstream, podemos encontrar revolucionários a nadar no sentido da corrente, pessoas que falam nos meios de comunicação contra os meios de comunicação, rotinas apresentadas como rupturas com a tradição e protestos que apenas satisfazem o gozo da indignação. O underground foi introduzido no mainstream. A economia é encenada eticamente; o marketing alia-se à subcultura; a crítica social é subvencionada por instituições que deveriam tremer perante a crítica... Todos estes fenómenos têm a mesma estrutura: a negação do sistema, que deste modo se tornou inatacável. «Something in the system jumps out and acts on the system, as if it were outside the system» (Hofstadter, 1979, 691)."
INNERARITY, Daniel (2009). A Sociedade Invisível. Lisboa: Editorial Teorema, SA. pp.34-35

Olhar para o céu implica imaginação, que está aliada à transgressão da procura, ao anseio de utopia, a uma força interior que se alimenta de convicções e dúvidas, mas muito da coragem, da determinação e perseverança. Tristes tempos de confusão em que o discurso político do poder e do contra-poder é um mero ornamento esvaziado. Tudo é hoje encenado. A subversão da minha adolescência, escudada em valores éticos, filtro de justiça, reflexão crítica sustentada em muitas horas, na companhia de bons autores e de amigos, que tinham a mania de pensar por si mesmos, foi engolida pelas rotinas automáticas e superficiais do pseudo-debate. Nada se decide, nada avança, vogamos em círculo...

1 comentário:

  1. ÉS LINDA!!!
    É tão bom poder encontrar-te nas palavras e saborear este encontro. És esperta, menina. Gosto de ti minha AMIGA.
    bj bj

    ResponderEliminar