sexta-feira, fevereiro 05, 2010

REFLECTINDO sobre INVICTUS

Ainda relativamente ao filme INVICTUS. Li hoje um comentador da área de desporto que referia possíveis falhas do realizador CLINT EASTWOOD. Ao que parece, no momento em que o grupo de rugby corre pela rua, cruza-se com um tipo de automóvel cujo modelo ainda não existia, na época. Também refere a pouca exactidão do filme no respeito que deveria ter pelas regras do rugby. Reconheço que Eastwood poderia ser perfeito.
A excelência que demonstrou colocou-a toda na construção de personagens fortes e mais uma vez conseguiu demonstrar que o ser humano pode ser inspirado e projectado para a generosidade, ultrapassando-se na senda de um Bem Maior. Foi uma afirmação de Excelência que faz a sua aposta na transfiguração do Homem quanto ao seu destino individual e colectivo e ao comando absoluto do seu espírito.
I am the master of my fate,
I am the captain of my soul!

Sem comentários:

Enviar um comentário