quinta-feira, fevereiro 04, 2010



INVICTUS




Vi o filme realizado pelo Clint Eastwood. Mais uma metáfora bem construída que nos emociona e recoloca no lado solar.

Toca-me a força do poema de Ernest Henley mas, o que me parece sublime é o facto de Nelson Mandela o ter escolhido como fonte de inspiração para suplantar o appartheid na África do Sul. Mcveign, o bombista de Oklahoma, condenado à pena de morte, havia usado este grito poético para sustentar a sua atrocidade. Mandela recorre ao mesmo texto para apelar à Vida e à Paz Multirracial.

O génio do homem conduzido pelo homem para causas extremas. A dialéctica do Bem e do Mal concretizada.

Out of the night that covers me,
Black as the Pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years Finds,
And shall find, me unafraid.

It matters not how straight the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate,
I am the captain of my soul.

2 comentários:

  1. Anónimo4.2.10

    Amei! Acredito que é possível mudar o Mundo a partir do nosso espaço. É preciso ter força de vontade, acreditar e INSPIRAR quem nos rodeia.
    Teresinha

    ResponderEliminar
  2. Anónimo8.2.10

    Já vi o filme e estou plenamente de acordo contigo. Saí com uma sensação de compromisso, com uma obrigação para o bem.
    Artur

    ResponderEliminar